UMA VITÓRIA POR DIA

QUE TIPO DE MULHER EU SOU

Posted on: 30/05/2010

“Sou como você me vê. Posso ser leve e suave como uma brisa. Ou forte e avassaladora como uma tempestade. Depende de como e quando você me vê passar.”
Clarisse Lispector.

Nessa madrugada, iguais a muitas outras, quando faço meus exames de consciência, me lembrei de um provérbio que diz: “Quando apontamos o dedo para alguém, tem outros três apontados para nós mesmos”.
E com isso, senti que precisava priorizar a minha própria lista de erros e acertos, de qualidades e defeitos.
Analisar mais seriamente cada situação em que me achei prejudicada e mudar.

Eu sou uma pessoa simples de origem e complicada na essência.

Me contendo com pouco mas quero sempre mais. E como explicar isso? É mais ou menos assim:
Se tenho uma vida que me consome 1 moeda por dia e para viver o mês inteiro, precisarei de 30 moedas. Então vou batalhar primeiro para garantir essas 30 moedas. Isso será a minha maior preocupação. Mas… nunca ficarei acomodada apenas com essas 30. Se eu consigo garantir essas, tenho competência para adquirir mais 10. E quando conseguir, não vou querer baixar o nível do número de moedas, Então, vou batalhar para sempre assegurar as 40. E daqui a pouco, vou pensar que tenho capacidade para conseguir mais 10… e assim vai.
E isso não se restringe a dinheiro, é com tudo que some na minha vida. Quero sempre o básico confortável e o supérfluo permitido. Vivo com os pés no concreto e a cabeça nos sonhos, sempre tentando trazer os sonhos para o chão.

Certa vez, me julgaram como uma mulher interesseira, que só pensa em dinheiro e que eu precisava viver ao lado de um homem rico. Mas não sou esse tipo de mulher. O que me importa não é se o homem ganha muito, pouco ou nada. O que importa é a dignidade desse homem, a seriedade e a vontade de fazer, a cada dia, algo melhor para o futuro dele próprio. Acredito que, se ele estiver bem, ficará bem a relação dele com ele mesmo, com os filhos, com a família, amigos e comigo. Naquela época, tentava mostrar que era o tipo de mulher que lutava todos os dias, do jeito que sabia para que ele percebesse isso, mas aquele tipo de homem era cego e o pior cego é aquele que não quer enxergar.


Sei que tenho qualidades e defeitos, assim como todo mundo, com erros e acertos. Vou citar alguns:

Um pouco de bem e um pouco de mal. Basta misturar com água e torcer para acertar a dose.

Eu gosto de trabalhar.
Tento conquistar o que julgo necessário e entendo que pra conseguir as coisas, é preciso trabalhar, seja o trabalho remunerado que me garanta o sustento ou o trabalho em casa, que  garanta conforto. Pra mim, trabalho vem sempre antes de diversão e se tiver que trabalhar nos momentos que estavam separados para me divertir, então prefiro adiar a diversão. E a virtude, passa a ser um defeito, porque…

Tenho síndrome da hiperatividade
Não consigo relaxar e deixar coisas para serem feitas depois. Muitas vezes frustrei outras pessoas, em não compartilhar ou aproveitar momentos, por estar com a cabeça focada somente no trabalho ou em coisas que precisavam ser feitas. Acordo cedo, por volta das 6:00 mesmo nos dias em que não preciso, como fds, feriado ou férias. E não consigo ficar na cama. Eu levando e quando vejo, já estou fazendo alguma coisa. Não consigo ficar parada vendo um filme longo. Estou sempre olhando, procurando algo pra fazer. Isso se torna uma coisa física. Os músculos do corpo estão sempre contraídos, prontos para uma ação. Muitas vezes eu percebo que meus músculos estão tensos. Até dormindo, estou em atividade, pois tenho bruxismo, que é o ato de ranger os dentes ao dormir.

Sou organizada e prática
Com isso, acredito que minha vida se torna mais fácil pois não tenho uma lista enorme de pendências. Gosto de me sentir livre de pendências pra estar pronta para novas coisas a fazer. A parte boa é tenho controle do fluxo das coisas, pois elas vão chegando e sendo resolvidas. Mas  essa qualidade transorma-se em defeito porque…

Sou imediatista e impaciente. Quero fazer e resolver tudo na hora. Levo muito a sério o lema de “não deixe para depois o que pode resolver hoje”. Não suporto embasso! E acho que as coisas deveriam funcionar no meu tempo, na hora que eu quero. E quando não acontece, eu me sinto frustrada por ter que esperar os outros e fico pensando que se dependesse apenas de mim, já estaria resolvido.E com isso, vem mais um item, que pra mim é uma qualidade, mas os outros, julgam como defeito:

Sou sistemática, metódica e quero tudo arrumado
Em casa, no trabalho, no jeito de fazer determinadas coisas, tenho necessidade de fazer sempre do mesmo jeito. As coisas tem seu lugar e fico louca quando não acontece assim. E ODEIO bagunça, odeio sujeira, detesto trabalho feito pela metade. Pra mim, a vida funciona tão mais fácil sem obstáculos pela frente.
Acho um delicia viver em uma casa sempre em ordem. Camas arrumadas, pia sem louça pra lavar, sala em ordem, banheiro limpinho. Poder andar descalça pela casa sem que o pé fique preto. Pra mim, isso é um bem estar pra quem vive na casa e um presente pra quem chega. Não é trabalhoso, é só manter. Sempre vivi com gente bagunceira. Na infância, quando adulta, quando me casei, e agora, que voltei pra casa da família. Que largam as coisas pelo caminho, que não fazem manutenções, que estão nem aí. Será um castigo? Sempre tem briga.
Já no trabalho, sempre mantenho a caixa de entrada do e-mail com todas as mensagens lidas e o serviço feito e posso ir embora no horário, com a sensação de dever cumprido.

Tenho alterações bruscas de humor
É só acontecer alguma coisa que não me agrada. E na maioria das vezes são coisas simples. Um atraso, uma coisa deixada fora do lugar, algo que eu esperava ganhar e não ganhei, um ciumes, uma impossibilidade, fazer algo que não quero, estar perto de gente que não gosto. Com isso, faço cara feia, dou respostas atravessadas, trato mal pessoas, arranjo brigas na fila do supermercado e por aí vai. Mas passa rápido, assim como o mal humor vem, ele vai. Do nada. Eu fico bem, mas será que as outras pessoas ficam? Acho que não.

Meus critérios para perdão são estranhos
Tão estranhos que ainda não sei definir o que  perdoei e o que somente preferi deixar pra lá.

Sou ciumenta e possessiva
Ciúme é quando não temos aquilo que é dado para outros. E posse é quando não queremos dividir aquilo que temos.
Sempre quero dar algo para as pessoas. Seja material, como presentes, fazer surpresas, comprar algo que a pessoa vá gostar, fazer as vontades, ou dar atenção, carinho, estar presente, uma ligação, uma mensagem no celular, um e-mail carinhoso, um olhar. E quero sempre receber em troca, na mesma proporção. Se não recebo, fico infinitamente triste, me sinto injustiçada, e fico ciumenta.
E com posse, é sempre tão difícil pra eu ter as minhas coisas, conquistar  que quero, inclusive pessoas, que morro de medo de perder, de acabar, de tirarem de mim, então me torno possessiva e nunca quero dividir. Se compro um chocolate pra mim, compro um pra você. Coma o seu como e quando quiser, mas por favor, não toque no meu, nem que ele fique anos na geladeira, ok? Muitas coisas, tenho somente pra saber que estão ali, não uso, e não vou usar. Mas na minha cabeça, isso não dá direito ao outro de usar. O dia que me lá a louca, eu dou. Tiro tudo do armário e faço doação pra orfanatos, dou coisas pra vizinhos, pra gente da família, mas só quando eu quero.

Não faço média, não sei fingir, sou direta
Isso é como remédio. A dose é que faz ser remédio ou veneno. Não faço média. Se gosto ou não gosto, fica estampado na minha cara. Não consigo fingir. Falo na cara o que tenho que falar, não mando recado, não me importo nunca se a verdade magoa. Quando enfrento problemas, em brigas, em discussões, em debates, as minhas palavras são ásperas, o meu jeito é bruto.  Se tenho argumentos bons, vou até o final com eles.  Se conseguirem me provar que estou errada, aceito. Caso contrário, jogo tudo da forma mais cruel na cara do outro. A vida fez isso comigo. Não sou de passar pano, de passar a mão na cabeça. Jogo na cara os problemas e mostro o caminho. E fico puta com gente que finge ser incapaz de caminhar.

Sou carente
Ao extremo, principalmente de amor, de atenção, de cuidados, de carinho. Passei a minha vida inteira (sem exageros)  tentando me encaixar em algum lugar ou na vida de alguém. Quando eu nasci, minha mãe era empregada doméstica e não tinha uma casa. Morava no emprego e não podia ficar comigo. Ela pagava pessoas pra cuidar de mim e essas pessoas e casas iam mudando. Dos 06 aos 15 eu morei com ela e depois ela teve que ir embora novamente e foi pra sempre. Minha vida foi ao lado de uma família emprestada. Até os 30 anos, tive obesidade mórbida e não me encaixava nem nas roupas. Quando achei que consegui me encaixar em algum lugar, me senti realizada, mas também não deu certo, por muitas das coisas que escrevo aqui. Do outro, eu quero pouco pra mim. Quero só amor, atenção, carinho, e lembranças boas. Não quero presentes caros. Quero uma flor de rua embrulhada em papel de pão. O presente maior está na hora que chegar e dizer que viu a flor e se lembrou de mim.
Então a minha busca eterna é pelo término da minha carência. Por isso que a minha certeza de felicidade é estar ao lado de alguém que me ame, em um lugar que possa chamar de meu, tentando todos os dias, ser e fazer alguém feliz.

Sou fiel
Sou fiel aos meus princípios. Jamais me vendo por interesses. Nunca traio os meus sentimentos. Sou verdadeira comigo e com os outros. Jamais traí a confiança de alguém, jamais enganei, porque já fizeram tanto isso comigo, eu sofri todas as vezes e sempre digo a mesma coisa: Nunca farei isso com alguém, nunca vou querer ser responsável por essa dor que sinto hoje. Com amigos, eu prefiro dizer a verdade, do que vestir uma máscara, só para não perder a amizade. Se fez algo pra mim, se fico sabendo de alguma coisa, eu vou jogar limpo. Se o amigo preferir nunca mais me ver, paciência, cada um com suas dificuldades. A minha consciência está mais confortável, do que se eu ficasse chocando uma situação para manter as aparências.
Em relacionamentos, eu sou fiel MODE ON COM FORÇA. Para homens o conceito de traição é diferente do conceito das mulheres. Pra mim, qualquer coisa que demonstre um interesse em outra pessoa é traição. Uma mensagem no celular, um e-mail, conversa no MSN, um olhar secreto, um encontro, é traição. Pois está oferecendo a outra pessoa o que deixou de oferecer a quem ama, ou diz que ama. E eu fui traída (muito). Sei o quanto dói isso.
(em breve, farei um post falando mais sobre traição.)

Amo de verdade e odeio a banalização do “eu te amo”
Não me apaixono fácil, pois tenho medo de me magoar. Mas quando isso acontece,  vivo tudo intensamente e se passo a amar, amo de verdade. Jamais falei que amo alguém como se diz bom dia. A banalização da palavra amor é uma coisa que me irrita.

Sou corajosa, batalhadora, forte e determinada
Na vida, tenho medo de poucas coisas: de barata, de escuro, de fantasma e de  injeção.
Sempre corro atrás do que quero, idealizo, planejo e faço, só pra ter o gostinho da vitória na boca. Enfrento meus problemas de frente. Poucas vezes peço ajuda, e agradeço a todos que me ajudaram quando precisei. Mas prefiro fazer minhas coisas sozinha. Não faço quando não dá mesmo, mas detesto me valer da bondade dos outros. Minha mãe e minhas tias me ensinaram a pescar. Um dia, voltei dizendo que não encontrei peixes e elas então me ensinaram a caçar.

(…) vou atualizar esse pots algumas vezes, pois como citei no começo, sou do tipo de mulher complicada na essência.

Mas no geral, sou do tipo de mulher que com defeitos e qualidades, procura somente ser feliz,  alcançar  objetivos e sonha encontrar um amor pra vida inteira.


 

 

3 Respostas to "QUE TIPO DE MULHER EU SOU"

GAROTAAAAAAAAAA

Adorei tudo isso… sou parte assim (você um pouco mais intensa do que eu, eu um pouco mais “esfumaçada do que você”, mas no geral da pra falar que funcionamos de maneira semelhante)

A parte do trabalho vir antes da diversão ja me causou desconforto com outras pessoas tb.. mas o problema é que, se eu vou me divertir antes de fazer as coisas que preciso fazer, eu não desligo minha cabeça daquilo e dai não me divirto.. então não adianta.. mas as pessoas não entendem.

bom. tenho que ir.. sp ta frio pacas e eu tenho que ir pra casa proque amanha eu vou pra Além Deus me Livre (que a propósito.. rs.. é maceió)

bjissimosssssssssssssssss

Adorei isso!!!!!!
Me identifiquei muito!

Me identifiquei com os seguintes itens:
.Eu sou uma pessoa simples de origem e complicada na essência.
.Eu gosto de trabalhar.
.Tenho síndrome da hiperatividade
.Tenho alterações bruscas de humor
.Meus critérios para perdão são estranhos
.Sou ciumenta e possessiva
.Não faço média, não sei fingir, sou direta
.Sou carente
.Sou fiel
.Sou corajosa, batalhadora, forte e determinada

O importante disso tudo é saber identificar os defeitos que nos atrapalham e tentar consertar isso… Mas nem sempre é possivel…Rsrsrs…Enfim…

Vou sempre passar por aqui!
Beijinhos e obrigado pela visita no meu blog!

Florzinha, sou muuuito parecida com você. Eu vou comentar aqui como eu sou:

Eu ou simples de origem e hoje prática na essência.

Eu gosto de trabalhar.

Tenho síndrome da hiperatividade (Zé fala que eu não paro quieta, mas sei exatamente o que você sente e fala).

Sou organizada e prática.

Tenho planejamento estratégico e paciência de monge budista.

Sou sistemática, metódica e quero tudo arrumado

Meus critérios para perdão são estranhos também.

Sou ciumenta e já fui possessiva. Mas controlo tudo.

Não faço média, não sei fingir, sou direta ahahaha eu sempre digo que não sou professora de matemática para fazer média.

Amo de verdade e odeio a banalização do “eu te amo”

Sou corajosa, batalhadora, forte e determinada.

Sou Palmeirense roxa também! Verdão êo !

Ah! E tem mais um montão de coisas que sou igual eheheh quando for a São Paulo, temos que tomar um café ao vivo.

Beijocas enormes e boa sorte!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

UM POUCO DE BEM E UM POUCO DE MAL. É SÓ MISTURAR COM ÁGUA.

Trabalho com comunicação há cerca de 10 anos.
.:.
RADIALISTA - Locutora profissional em espera telefônica, URA, spot comercial, corporativo, documentário, video-aula, áudio book, varejo, cerimonial e locução infantil.
.:.
PUBLICITÁRIA - Redação, desenvolvimento e criação de campanhas, comerciais, slogans e jingles.
.:.
EAD - Coordenadora de produção de material didático para Ensino a Distância
.:.
CONTATO
deborapodda@gmail.com
(11)95823-9013
.:.
*moro em São Paulo
*tenho duas filhas de 4 patas
*adoro cozinhar e comer
*palmeirense
*tenho transtorno compulsivo depressivo, em tratamento

ESSE BLOG serve como uma terapia para exteriorizar meus pensamentos, perceber minhas necessidades de mudança, avaliar meus erros e acertos, virtudes e defeitos.
Aqui tem minhas tristezas e alegrias. Meus sonhos, planos e conquistas.
Tem me ajudado! Espero que ajude você a também ter uma vitória por dia.
Um beijo.

Instagram

Zueira never ends #ramones #molejo #molejao 😜 Não bebo, não fumo, não cheiro. Alguma droga tem que ter pra alegrar a vida. Mãe, vai demorar muito pra você acabar o almoço e vir brincar comigo? #dachshund #dachshundlove #dog #sausagedog #shortlegs #pepperdachshund
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: